Casos de uso: para que servirá o 5G

Imagem retirada de https://tecnoblog.net/290961/31-formas-de-uso-da-internet-5g/
Imagem retirada de https://tecnoblog.net/290961/31-formas-de-uso-da-internet-5g/

A próxima geração da internet móvel, o 5G, promete habilitar uma sociedade completamente conectada e móvel, dando espaço para amplas transformações socioeconômicas marcadas por melhorias na produtividade, sustentabilidade, eficiência e bem-estar geral das pessoas e comunidades. Espera-se que a nova geração de tecnologia transforme mercados verticais inteiros como automotivo, energia, alimentação e agricultura, administração de cidades, governo, saúde, manufatura, transporte e muito mais. Isto será possível graças à definição de casos de uso específicos, exemplificados na infografia da 5G Americas (que você confere ao final deste texto).

Estes casos que serão habilitados pelo 5G necessitam de diversos requisitos em termos de desempenho das redes e também realizarão distintos tipos de interação, incluindo “pessoas com pessoas”, “pessoas com máquinas” e “máquinas com máquinas”.

Geralmente, estes serviços e aplicações se dividem em três grandes grupos, de acordo com seus requisitos de desempenho: eMBB (enhanced Mobile Broadband ou Banda Larga Móvel Melhorada), MIoT (Massive Internet of Things, Internet das Coisas Massiva), e URLLC (Ultra Reliable Low Latency Communications, Comunicações Ultra confiável de Baixa Latência).

As aplicações relacionadas ao eMBB, como realidade virtual ou vídeo em ultra alta definição (UHD), demandam uma alta taxa de transferência e uma boa cobertura de serviços, enquanto que as de MIoT — monitoramento de saúde ou cidades inteligentes – dependem, principalmente, de números elevados de dispositivos em pequenas áreas, e por último os serviços de URLLC – compostos por cirurgias remotas e comunicações de “veículos com veículos” — são extremamente rigorosos em termos de latência e confiabilidade.

Sendo assim, os limites entre os diferentes casos de uso não são completamente estáticos e fechados e, portanto, há aplicativos ou serviços que precisam dos requisitos de mais de um grupo em maior ou menor extensão. E embora eles tendem a ser agrupados por esses requisitos que são determinantes para o seu funcionamento, eles também usam outras funcionalidades de rede.

Fonte: CanalTech

Pesquisar